Featured Posts
Recent Posts
Archive
Search By Tags
Follow Us
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

Quando tudo parece desabar, de onde vem a tal resiliência? Nossas forças? Os “milagres”?


Todos nós temos problemas e descontentamento com situações e pessoas em nossas vidas. Não é de hoje que muitas vezes ousamos querer resolver os problemas dos outros e com os nossos acabamos nos afundando no mar das desculpas ou desilusões; ou simplesmente vamos postergando!

Fiz um grande exercício nessa semana, um dos meus problemas resolveu bater na porta e me assombrar. Minha ação tinha quer ser diferente das outras vezes, foi pensando na palavrinha da moda “resiliência” que agi. Ter capacidade de absorver o estresse gerado e retornar na situação de uma forma mais preparada é o caminho.

Quando recebemos uma pressão exterior nos lembrando que precisamos resolver algo. Algumas vezes nossa mente pode entender essa pressão como ameaça, descarregando uma energia de “salve-se quem puder” e se agir no momento simplesmente com o impulso de ameaça, o problema pode tomar uma dimensão ainda maior, o que não resolve.

Como a vida é inteligente e nos prega o teste dos problemas por diversas vezes até que realmente passemos no teste da aprendizagem; assim que o sininho de resolução ou melhor pressão para resolver o tal problema tocar, (no meu caso foi uma mensagem do whatsapp mesmo, vindo através de uma cobrança); eu imediatamente senti o calor na espinha, nas costas e minha vontade era responder, ligar e colocar para fora, de forma “salve-se quem puder”. Mas desta vez não foi assim!

Este problema se repetiu de forma similar em minha vida por algumas vezes anteriormente. Só tomou o volume atual por responsabilidade minha. Quantas vezes eu deveria ter dito não e disse sim ou fiz vista grossa? Quantas vezes sabendo que ia dar ruim, eu deixei para lá pois eu não queria resolver no momento, não queria me desgastar com pessoas que tanto amo ou admiro? Quantas vezes eu deixei pessoas tomarem decisão por mim, achando que iria melhorar ou ser diferente?

Pois bem, para todas perguntas acima, a resposta é a mesma: muitas vezes! Então a conta chega, ou melhor, chegou!

Pegue qualquer um dos seus problemas e agora imagine que este problema não é mais seu! Este problema e de um conhecido, amigo ou familiar. Que trouxe todos os pontos de vista e agora quer sua “consultoria” para ajudar a resolver. Faça de verdade este exercício e claro, inicie pela última chamada onde seu corpo reagiu fisicamente. No meu caso, o calor no corpo.

Deixe todas as sensações e informações chegarem, observe, aceite e comece a perceber que o problema não mudou. Não é nem maior e nem menor, ele simplesmente existe. Comece a observar e escutar todos os pontos que levaram este problema a existir. Lembre-se que você está no papel de colher o máximo de informação, para posteriormente “aconselhar “ na resolução.

Vá nos mínimos detalhes, não deixe nenhum papel de vítima tomar conta da situação. Apenas vá detalhando e perceba quanto sua participação foi importante para este problema crescer e criar forma. Vai ser desafiador, pode doer, pois cada problema em nossa vida é um acumulado de atitudes impensadas, precipitadas, erradas, irresponsáveis e até mesmo imatura ou leviana que tomamos em algum momento. Uma coisa não muda, a responsabilidade é nossa.

Mas calma, não se desespere. Se conseguimos criar grandes problemas tenha certeza que podemos desfazer todos eles! A boa notícia é que a chave ou solução está conosco. O importante, até que tudo se resolva, é saber lidar com os impactos que foram causados e também com as consequências!

Deste ponto que vem a tal resiliência! Ter a maturidade de analisar tudo e identificar onde podemos fazer diferente. Exerça a autocompaixão e deixe de lado a frequente chibata que costumamos mais usar conosco do que com os outros. Permita-se acolher seus erros e pisadas de bola. Reconheça e dê oportunidades de correção e perdão.

O problema reduzirá e com certeza você estará mais preparado para resolver. Não estou dizendo que o problema desapareceu, pelo contrário, agora você está num estado emocional de resolução, de mudar o rumo e de fato aprender com todas as situações que lhe levaram a este problema.

Este exercício nos faz enxergar onde erramos e ou precisamos de ações corretivas ou mais assertivas; somente assim estaremos próximos da solução ou chave do problema. Agora que a resolução entrou em cena, precisamos ficar atentos, pois após a visualização dos erros a vida começa a fazer pequenos “testes” antes que o problema seja de fato resolvido. Isso é só para “checar” o seu aprendizado!

Como disse antes, a vida é inteligente e também justa. Isso não quer dizer que será justa seguindo a sua ou a minha “régua” ou verdade! A vida simplesmente é! Se quiser conhecer as regras e verdades; pratique a empatia, a tolerância e também o perdão! Primeiramente com você e depois com o próximo!

Acredite estando no estado adequado de resolução e vivência: tudo acontece. Milagres e reviravoltas, pois a vida simplesmente retoma ao rumo normal ou correto; guiada pelo equilíbrio, abundância, aprendizado, amor, satisfação e felicidade.

  • Facebook
  • Instagram
  • LinkedIn

©2018 by beopenmind. Proudly created with Wix.com